Home
Links
Bible Versions
Contact
About us
Impressum
Site Map


WoL AUDIO
WoL CHILDREN


Bible Treasures
Doctrines of Bible
Key Bible Verses


Afrikaans
عربي
Azərbaycanca
Bahasa Indones.
বাংলা
Български
Cebuano
Deutsch
English
Español
فارسی
Français
հայերեն
한국어
עברית
हिन्दी
Kiswahili
Кыргызча
മലയാളം
नेपाली
日本語
O‘zbek
Peul
Polski
Português
Русский
Srpski/Српски
தமிழ்
తెలుగు
ไทย
Türkçe
Українська
اردو
Uyghur/ئۇيغۇرچه
ייִדיש
Yorùbá
中文


ગુજરાતી
Hausa/هَوُسَا
Latina
Magyar
Norsk

Home -- Portuguese -- Acts - 025 (Church Members having all Things in Common)
This page in: -- Arabic -- Armenian -- Azeri -- Bulgarian -- Cebuano -- Chinese -- English -- French -- Indonesian -- PORTUGUESE -- Russian -- Serbian -- Tamil -- Turkish -- Urdu? -- Uzbek -- Yiddish

Previous Lesson -- Next Lesson

ATOS - Na procissão triunfal de Cristo
Estudos nos Atos dos Apóstolos
PARTE 1 - A fundação da Igreja de Jesus Cristo em Jerusalém, Judéia, Samaria e Síria – Sob o amparo do Apóstolo Pedro, guiado pelo Espírito Santo (Atos 1 - 12)
A - O Crescimento e Desenvolvimento da Igreja Primitiva em Jerusalém (Atos 1 - 7)

13. Os membros da Igreja tem todas as coisas em comum (Atos 4:32-37)


ATOS 4:32-37
32 E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. 33 E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. 34 Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. 35 E repartia-se a cada um, segundo a necessidade que cada um tinha. 36 Então José, cognominado pelos apóstolos, Barnabé (que, traduzido, é Filho da consolação), levita, natural de Chipre, 37 possuindo uma herdade, vendeu-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos.

Lucas, o evangelista, após o sermão de Pedro no dia de Pentecostes, deu-nos uma visão mais próxima de como a igreja primitiva realizada todas as coisas em comum. Agora, após a cura do homem coxo e testemunho dos apóstolos diante de seus governantes, ele dá uma visão favorável da vida interna da igreja. Não foram só os apóstolos cheios do amor de Cristo, mas todos os crentes foram unidos uns aos outros em uma unidade visível e real. Quando refletimos sobre essa unidade, vários pontos tornam-se claras.

O mistério da Igreja primitiva residia no fato de que seu amor era verdade e não apenas um sentimento que passa. Era fruto do Espírito Santo. Sua fé em Cristo os uniu num projeto comum, e sua oração como uma congregação os deixou mais e mais perto de seu Senhor, o centro da Igreja. Através da oração eles se tornaram um só coração e mente. Cada um sentiu a necessidade do outro, e eles tiveram os problemas e alegria juntos. Era como se o coração de um membro estava batendo no peito do outro, e a alma de um membro morasse em outro corpo. Cada um tinha sua própria personalidade, mas cada um também negou a si próprio. Desta forma, cada membro da igreja obteve uma alma nova e abrangente, e comum, que se tornou a alma da igreja local.

A fraternidade no Cristianismo é um grande mistério. Ninguém espera que o outro ajude, pois cada uma dá apoio rapidamente a seu irmão carente. Dar era um prazer para todos eles e consideravam o amor do dinheiro uma desgraça. Ninguém trabalhou para si mesmo, mas serviu os outros com seus dons, dinheiro e posses. O Senhor livrou os crentes da mesquinhez, inveja, amor ao dinheiro, e de uma dependência de bens pessoais. Lucas, o evangelista, nos informou em seu evangelho, mais do que todos os outros evangelistas, como Jesus alertou para o perigo do amor ao dinheiro. Ele testemunhou com alegria que nem o amor ao dinheiro, nem uma atitude de posse egoísta prevaleciam na igreja primitiva. Todas as coisas foram realizadas em comum com seus irmãos.

Todos eles esperavam a iminente vinda de Cristo e santificaram-se para recebê-Lo. Em sua grande expectativa os apóstolos testemunharam com poder e grande alegria que Jesus estava vivo, presente e realizava a Sua salvação. Sua fé em Cristo vivo era seu poder, pois, pela fé que tinham subido com ele dentre os mortos. Eles testemunharam a vida de Deus que estava habitando neles. Eles não pregam uma doutrina vazia, mas um grande poder e ativo.

Seu Senhor confirmou seu testemunho e fez a Sua graça abundar para aqueles que reconheceram seu nome. Seu poder estava no trabalho, manifestando-se através de suas habilidades e dons. Um espírito de sacrifício e amor encheu aqueles que estavam abertos a ele. Lucas duas vezes mencionou a palavra "grande" em sua descrição do poder e da graça que habitou nos crentes. Nós não costumamos ler sobre esta palavra no evangelho, salvo quando há plenitude e transbordamento de dons do Senhor. Por isso, reconhecemos o mistério do testemunho eficaz dos apóstolos e a harmonia existente na vida da igreja.

Neste voluntário socialismo espiritual não restou necessitados, pobres, miseráveis, pessoas perturbadas, desprezadas ou não qualificadas. Todos eles experimentaram assistência, alegria, acompanhados com a oração e o poder do Deus vivo. Sofrimentos e dificuldades foram superados pelo poder da oração na igreja. Discordâncias foram custeadas com gratidão e louvor. Os apóstolos não encontraram uma instituição de caridade para os milhares de carentes em sua nação, mas limitou sua caridade aos membros da sua igreja. Eles sentiram que eles eram membros de uma família, e, portanto, não permitiam surgir problemas entre si.

Estes irmãos em Cristo sabiam que sua casa estava no céu. Eles não chamam o que eles tinham de coisas próprias, suas, pois tinham de bom grado deixado tudo para Deus. Eles sabiam que Deus, o Criador, foi o Possuidor de tudo. O Espírito Santo, e não o dinheiro, reinou sobre a igreja. Por este princípio, encontramos os crentes de origem Judaica sendo tragados pelo amor às riquezas, de acordo com a declaração de Cristo: "Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro, ou ele vai ser leal a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom (deus das riquezas)" (Mt. 6:24).

A igreja não desperdiça o dinheiro que lhe é dado. O dinheiro recebido das propriedades foi colocado à disposição dos apóstolos. Eles haviam abandonado tudo por Jesus e seguiam firmes na pobreza. Os membros da igreja estavam todos certos de que nenhum dos apóstolos usaria até mesmo uma pequena quantidade de dinheiro para seu próprio benefício. Além disso, o Espírito Santo não permitia que um fio de cabelo de injustiça acontecesse. Ele estava os guiando completamente à glória.

O número de membros da igreja naquela época havia crescido. Tornou-se necessário para os apóstolos se sentar em um lugar mais alto a fim de falar com o público ou para ver um ao outro. Seguindo o ensinamento e a pregação, as contribuições foram colocadas no chão aos pés dos apóstolos. Eles foram oferecidos com gratidão como presentes de Deus para todos. Caro crente, até que ponto você agradece a Deus?

Os apóstolos não amontoaram o dinheiro a fim de assegurar o futuro da igreja. Eles distribuíram as doações imediatamente. O fundo estava transbordando e vazio ao mesmo tempo, assim como Pedro disse: "Prata e ouro eu não tenho". Dessa forma eles estavam dando aos necessitados em todos os tempos, tendo em mente que o Senhor não havia colocado o dinheiro em suas mãos apenas para que se acumulassem, mas para a assistência imediata às pessoas necessitadas.

Lucas diz-nos algo de interesse particular sobre Barnabé, cujo nome aparece várias vezes no livro dos Atos dos Apóstolos (9:27; 11:22-30; 13:1-2; 14:12-28; 15:02 ). Ele era o "filho da consolação", que é o significado original da palavra "filho do encorajamento". Ele foi cheio do Consolador divino, o Espírito Santo. Devido a este presente que poderia pacientemente encorajar as pessoas a servir ao Senhor. Este filho da consolação foi um levita da ilha de Chipre. Ele ou seu pai haviam comprado um campo caro em Jerusalém. Eles desejavam se encontrar com ele no primeiro momento, como alguns outros não-Judeus Cristãos fizeram em sua piedade extrema. Barnabé conhecia o verdadeiro Cristo, e teve o Seu Espírito Santo como uma garantia da glória por vir. Ele tornou-se livre de costumes Judaicos e vendeu este campo. Esta venda foi uma rejeição dos restantes resíduos Judaicos, e foi um testemunho da expectativa de que Jesus Cristo está vindo em breve. Este homem não guardou qualquer parte de seu investimento de dinheiro na Cidade Santa como seguro de vida para sua permanência na terra. Ele trouxe o preço inteiro de sua área e colocou, em silêncio e com humildade, no chão aos pés dos apóstolos.

ORAÇÃO: Ó Senhor, Seu amor é maior do que os céus e a tua verdade muda os corações egoístas. Aceite o meu dinheiro e fortaleça a minha fé em Sua vinda iminente para que eu possa ajudar a quem eu encontrar em dificuldades, que ninguém possa permanecer carente em sua igreja.

PERGUNTA:

  1. Qual das características da comunhão Cristã primitiva que você considera ser a mais importante em sua vida?

www.Waters-of-Life.net

Page last modified on September 27, 2012, at 11:30 AM | powered by PmWiki (pmwiki-2.2.109)